Justiça federal suspende leilão da Usina Volta Grande de Miguelópolis

Suspenso leilão da Usina Volta Grande de Miguelópolis

Com exclusividade trouxemos a notícia do leilão da Usina Volta Grande nas redes sociais e no jornal Popular, agora uma liminar expedida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) suspendeu o leilão da Usina de Miguelópolis (Volta Grande); da Usina de Jaguará, entre Rifaina e Sacramento (MG), e de outras duas hidrelétricas da Companhia Elétrica de Minas Gerais (Cemig), que estavam previstas para serem vendidas pela União dia 27 de setembro.
A decisão é provisória e ainda cabe recurso. O governo alega que, em busca de cumprir a meta de déficit fiscal deste ano, o pretende arrecadar ao menos R$ 11 bilhões com o leilão das quatro hidrelétricas – Jaguara, Miranda, São Simão e Volta Grande.
Em decisão do último dia 18, o desembargador federal Souza Prudente entendeu que o valor de venda estaria muito abaixo do que verdadeiramente valem as usinas. Ele acolheu a argumentação do advogado Guilherme da Cunha Andrade, que, em uma ação popular, contestou os métodos de avaliação utilizados pelo governo federal.
Segundo o advogado, o método usado pela União não considerou investimentos não amortizados feitos pela Cemig, companhia controlada pelo estado de Minas. Ele sustentou que o valor mínimo para o leilão das usinas deveria ser de ao menos R$ 18 bilhões, sob pena de se promover uma “dilapidação” do patrimônio público mineiro.
O prefeito de Miguelópolis doutor Naim Miguel (PSDB) se juntou aos prefeitos e políticos mineiros na luta para impedir o leilão, na semana passada eles participaram de um ato político em Minas Gerais. Naim esteve em reunião com Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais; Bernado Salomão, presidente da CEMIG e prefeitos de Minas Gerais e São Paulo que ficam as margens de Lagos das Usinas para posicionamento contrário à possibilidade de vendas para empresários internacionais.

Por: Fabio Reis (Miguelopolis – SP )

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *