//Dia de Campo da Dedeagro mostra compromisso com maior eficiência no campo

Dia de Campo da Dedeagro mostra compromisso com maior eficiência no campo

A fazenda Santa Helena recebeu o evento que teve como objetivo difundir as principais tecnologias para aumentar a produtividade da soja

Com o apoio dos parceiros Bayer, UPL, FMC, Biosoja, Agrofava, Mauá Sementes, Agroeste, Brevante e Simbiose, a Dedeagro realizou seu 4º Dia de Campo na Fazenda Santa Helena, em Guaíra (SP), na tarde de 18 de janeiro, na presença de dezenas de produtores do município e região.

Tendo como objetivo o compromisso de proporcionar maior eficiência no campo, a empresa apresentou tecnologias que contribuem para uma boa produtividade na cultura da soja. “Estamos orgulhosos pela maneira que o agro vem sendo conduzido pela nova geração. Se Deus quiser, essa nossa estrutura pujante vai se manter por muito mais tempo, porque aqui se acredita na evolução da tecnologia. E nós da Dedeagro temos o prazer de estar aqui cumprindo nossa missão de difundir as tecnologias. E temos orgulho de estar com esse pessoal”, declarou João Dedemo, agradecendo aos proprietários da fazenda, em especial ao casal Adnaer de Barros Lelis e sua esposa Edna.

Durante o dia de campo, a Dedeagro ressaltou a importância de manter o manejo fitossanitário corretamente na lavoura de soja, principalmente nesse momento de chuvas intensas no estado. “Devemos prestar atenção, especialmente, na soja que plantamos por último, porque a condição está muito favorável para as lavouras, mas também para as doenças, principalmente a ferrugem asiática”, explicou o empresário.

“Vamos explorar ao máximo o que a natureza está nos dando e o que o potencial genético das cultivares tem para nos oferecer.” – João Dedemo

Dessa maneira, a empresa alertou pra a aplicação dos antifúngicos. “Com a condição climática que temos, intervalo maior que 15 dias para fungicida é dar sorte ao bandido. Vamos aproveitar o máximo esse ano agrícola, cuidando fitossanitariamente bem, com intervalo de aplicação não passar de 15 dias, porque, senão, poderemos entregar cerca de 10 sacos de soja para a ferrugem”, informou Dedemo.

“Vamos explorar ao máximo o que a natureza está nos dando e o que o potencial genético das cultivares tem para nos oferecer. Vamos trazer 70, 80 sacas de soja por hectare para dentro de casa esse ano. Nosso setor tem boas expectativas para os próximos 10 anos, com segurança, demanda mundial de alimentos crescendo, a nossa economia interna se regularizando, taxas de juros cada vez mais adequadas para valorizar o trabalho ao invés da especulação financeira, então, tem tudo de bom para 2020. Sem medo de errar, para os próximos 10 anos teremos uma agricultura próspera e por isso temos que nos empenhar e nos adequar”, finalizou.