//Faesp defende juro real baixo e mais acesso a crédito para produtores rurais

Faesp defende juro real baixo e mais acesso a crédito para produtores rurais

O Banco Central anunciou, na noite desta quarta-feira (06), um novo corte na taxa básica de juros, a Selic, de 0,75 p.p., para 3% ao ano.

Em nota, o vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), Tirso Meirelles, avalia que a postura adotada pela autoridade monetária é importante, mas é necessário que as taxas mais baixas se reflitam no sistema financeiro, chamando a atenção também para que o crédito aos pequenos empresários seja facilitado.

Acompanhe na integra o que a Faesp defende

Ao analisar a Selic, atualmente em 3,75%, que deverá ser novamente reduzida pelo Copom, na reunião do organismo que se encerra nesta quarta-feira, 7 de maio, Tirso Meirelles, vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), salienta que é importante, neste momento, o País ter os juros mais baixos de sua história. “Porém, essas taxas precisam refletir-se em termos práticos no sistema financeiro e é fundamental que o acesso seja mais amplo e facilitado, em especial para os pequenos negócios”.

É o caso dos produtores rurais, que estão desempenhando papel fundamental nesta conjuntura de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. A agropecuária e toda sua cadeia de suprimentos estão operando com força total, apesar de todas as dificuldades e riscos, para manter o abastecimento de alimentos dos brasileiros. “Por isso, encaminhamos reivindicações ao Governo Federal e ao do Estado de São Paulo no sentido de que o setor, em especial os pequenos produtores, tenha acesso a linhas diferenciadas e desburocratizadas de crédito, com juros baixos e condições favoráveis de pagamento”, ressalta Meirelles, enfatizando que isso é fundamental no presente cenário.

A entidade está exercitando seu papel político com foco em soluções. Sua diretoria mantém reuniões, por meio digital, com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para garantir que os gargalos iniciais ao abastecimento (caminhoneiros, portos e incentivo e garantias à produção e merenda escolar) não se tornassem problemas irreversíveis e agravantes dos efeitos da pandemia. Ainda no âmbito federal, atuamos junto com a Ceagesp, contribuindo para manter o abastecimento. Também nos articulamos com o Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

Mobilização na luta contra pandemia
Logo nos primeiros dias de informações sobre a pandemia, a Faesp criou o Comitê de Crise, para monitorar e propor ações de apoio ao produtor rural, minimizar os impactos nas suas atividades e no abastecimento de alimentos à população. Uma das primeiras providências do grupo foi a criação de uma rede de inteligência para monitorar em tempo real os problemas e garantir a manutenção das operações da cadeia produtiva do abastecimento, disponibilizando canais diretos para que os produtores relatassem suas dificuldades e necessidades. A federação também criou o “Pertinho de Casa” (http://www.pertinhodecasa.com.br), que, sem fins lucrativos, conta com o apoio do Sebrae-SP, SENAR-SP, Accenture, Facebook, V-Tex e Pag Seguro. Trata-se de plataforma digital que conectou produtores rurais e pequenos varejistas aos compradores. Tudo sem custos e taxas de utilização, tanto para quem vende quanto para quem compra, agilizando e barateando o processo de comercialização dos produtos, que as pessoas podem adquirir remotamente em estabelecimentos próximos de suas moradias.

Além disso, a entidade está realizando processo de produção de três milhões de máscaras por costureiras instrutoras do Senar A.R./SP (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – São Paulo). O projeto, integrado com os sindicatos ligados à Faesp, contribui para a proteção de trabalhadores rurais contra o contágio. Contempla profissionais de santas casas de misericórdia de municípios paulistas e gera renda para numerosas mulheres.

Por ocasião do Dia das Mães, visando estimular um setor muito afetado pela pandemia, a Faesp criou a campanha Abrace com Flores. A ideia é estimular a venda online, para que as pessoas possam presentear suas mães sem sair de casa. “É fundamental o apoio a esse segmento, talvez o mais impactado pelo novo coronavírus, com paralisação quase total, em função do cancelamento de casamentos, festas, eventos, fechamento de hotéis, restaurantes, shoppings e outros estabelecimentos que consomem sistematicamente sua produção. Com a campanha, todos poderão comprar flores por meio de várias plataformas digitais, dentre elas o Pertinho de Casa, lançado pela própria federação.